Ambientes Colaborativos

A palavra colaboração sempre esteve presente nos ambientes corporativos, mas nos últimos anos ganhou força e destaque. A crescente busca por colaboração entre os diferentes componentes de uma empresa, coloca sob a responsabilidade do líder a criação de um ambiente corporativo no qual as pessoas possam verdadeiramente dar a sua melhor contribuição para o sucesso do negócio.

A especialista Tamara Erickson diz que o papel do líder, na atualidade, tem muito mais a ver com criar um ambiente propício para que a empresa cresça e seus colaboradores se desenvolvam.

Tenho que concordar com Tamara, no papel de líder, temos que focar muito mais em identificar potenciais e criar oportunidades de desenvolvimento, do que simplesmente transmitir tarefas e fiscalizar o seu cumprimento.

Na função de facilitador da colaboração, o líder precisa saber lidar com a diversidade e garantir que as pessoas certas estão se comunicando. A liderança deve criar oportunidades para que muitas pessoas possam dar contribuições para o sucesso dos negócios, e não só algumas.

É papel do líder estimular a colaboração, para assegurar o desenvolvimento das pessoas e o progresso da empresa. O líder deve utilizar a diversidade para garantir que as pessoas dentro da organização não se contentem em pensar de uma única forma, precisa estimular o rompimento dos padrões, garantindo que as pessoas sempre questionem o que estão fazendo e estejam abertas para novas ideias.

Outra característica de um ambiente colaborativo é que ele é menos hierárquico e mais horizontal. O líder não precisa, necessariamente, ter todas as respostas. Mas ele deve saber fazer boas perguntas, que sejam provocativas e relacionadas com os desafios que a empresa enfrenta. É através dessas perguntas, que junto com as equipes, chegará a uma solução.

A hierarquia, que ainda está presente em nossas empresas, aparece muitas vezes como uma vilã. Na verdade, ele funciona muito bem quando o objetivo é padronizar processos, produzir mais ou reduzir custos. Mas quando o assunto é inovação, é preciso um ambiente mais ágil, com menos hierarquia, para que as organizações se tornem mais flexíveis e adaptáveis a mudança.

Você lidera um ambiente colaborativo? Qual o seu papel em construir esse ambiente?

2 comentários sobre “Ambientes Colaborativos

  1. Bom assunto Sérgio!

    Realmente a hierarquia possui uma relação delicada com a colaboração, principalmente quando é utilizada para impor e demonstrar poder ao invés de facilitar a gestão de uma empresa em todas as suas divisões de tarefas e responsabilidades.

    Permita-me humildemente um ponto que vejo como essencial e por isto importante na colaboração entre as pessoas:
    Em qual nível as pessoas envolvidas estão na pirâmide de Maslow?

    A base da pirâmide, as necessidades primárias domadas por nossos instintos, precisam estar seguras e afastadas de um acentuado instinto de sobrevivência.

    A colaboração flui melhor quando as necessidades sociais e de autoestima estão em evidência e o instinto de sobrevivência passa a ser menos intenso em cada um, o que pode gerar uma colaboração para alcançar algo maior, pois necessidade básicas incluindo a proteção estão mais estáveis.

    Uma analogia é a caça, seja por humanos ou outros animais. Individualmente cada ser procura seu meio de sobreviver, frutas e pequenas caças, mas quando querem algo que encham os olhos, cria-se naturalmente um grupo, cada um com uma função, e assim até um gigantesco mamute se torna um alvo menos difícil.

    Então vejo que a liderança precisa realmente criar um clima de segurança, que não ameace as bases das pirâmides das pessoas, levando-as a fazer qualquer coisa instantânea e muitas vezes de curto prazo para sobreviver a aquela ameaça.

    Outro ponto é buscar e apresentar objetivos realmente ambiciosos e além disto valorizar a soma das diferenças para alcançar aquele objetivo, já que feitos assim são difíceis de de atingir individualmente.

    Em momentos difíceis a crise pode chegar até a colaboração, pois as bases passam a ser ameaçadas com o desemprego e nas incertezas muitos objetivos e visões maiores são suspensos, gerando metas diárias e menores, que podem enfatizar o individuo na busca da sobrevivência. Uma possível competição interna nas corporações, que gera um certo “canibalismo” na falta da algo maior…”Se alguém será penalizado que não seja eu”.

    Seu post nos faz lembrar que precisamos constantemente e incansavelmente cuidar da colaboração e suas raízes, que permitem que ela exista continuamente.

    Muito Obrigado

    Fred Salomão

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s