liderança em transformação

Um líder em constante transformação

Estava revistando um material escrito por Rita Gunther, professora de Columbia e considerada uma das pensadoras de gestão mais influentes do mundo, e encontrei algumas informações que vão de acordo com as minhas crenças sobre gestão e liderança e que gostaria de compartilhar com meus leitores, afinal precisamos estar constantemente nos desenvolvendo.

Rita apresenta em suas palestras um novo Guia Prático de estratégia, composto por 6 itens:

1. Reconfiguração contínua;
2. Desligamento saudável;
3. Alocação hábil de recursos;
4. Proficiência em inovação;
5. Uma nova mentalidade de liderança;
6. Gestão empreendedora da carreira.

Cada um desses itens renderia um post completo, por isso vou focar em apenas um deles: “Uma nova mentalidade de liderança”. O mercado mudou, o perfil dos colaboradores e as empresa estão mudando, fica óbvio a necessidade da mudança de postura dos líderes frente a toda essa transformação.

Segundo Rita os líderes devem deixar de pressupor a estabilidade e esperar por mudanças constantes, neste cenário a liderança não pode simplesmente se agarrar a uma vantagem competitiva, pois com certeza essa será momentânea, o desenvolvimento e a busca por inovação devem ser constantes. Um grande exemplo é a Nokia, em 2007 o seu CEO era capa da Forbes com a seguinte manchete: “Um bilhão de clientes — alguém consegue alcançar o rei dos celulares?”, este foi o mesmo ano em que a Apple lançou o primeiro iPhone, o final da história todos já conhecem.

Rita afirma que é imprescindível que a liderança deixe de reforçar as perspectivas existentes e passe a desafiar o Status Quo, a empresa precisa estar pronta para agir na hora em que é preciso fazer algo diferente. São os líderes que determinarão o quão pronta a empresa estará para reagir a uma mudança de mercado ou nova tecnologia.

Nesse contexto, o mind set “Exato, porém devagar”, perde espaço e dá lugar a um novo modelo mental que garantirá o sucesso da liderança nesse mundo em constante transformação: “rápido, mas basicamente certo”, isso quer dizer que os líderes precisarão arriscar mais, inovar mais e consequentemente falhar mais, porém quando o fracasso acontece nos primeiros estágios de desenvolvimento de um projeto, isto é, quando é rápido e barato, ele passa a fazer parte do processo de aprendizado para a construção de um grande sucesso. Os líderes precisam aprender a fracassar da forma correta, para que um pequeno erro se torne a alavanca propulsora para um grande acerto, afinal para inovar é preciso correr riscos.

O foco da liderança também precisa mudar, não basta mais ter foco interno, é preciso ter um foco externo extremamente abrangente, entendendo os movimentos não apenas dos seus concorrentes diretos, mas do mercado como um todo, do comportamento das pessoas, das suas necessidades e problemas latentes, para enxergar oportunidades que outros não enxergam.

Por fim, os líderes precisam aprender a recuperar-se rapidamente e a mudar de trajetória sempre que for necessário, velocidade será a palavra de ordem para esse novo perfil de líder inovador, que irá gerenciar organizações e equipes em constante transformação.

E você, está pronto para ser um líder em constante transformação?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s