Accountability na crise

Accountability e a crise!

“A vida é 10% o que acontece comigo e 90% como eu reajo a isso.” – Charles Swindoll

Não é segredo ou novidade que estamos vivendo um momento de crise, por isso essa não será a pauta desse post. Não vou falar sobre a crise, mas sim sobre a forma como nós gestores reagimos à crise, seja ela uma crise macroeconômica, como a que estamos enfrentando ou até mesmo uma crise na sua empresa ou departamento.

Por que será que em momentos de crise, algumas empresas, muitas vezes da mesma indústria, conseguem obter sucesso, enquanto a maioria padece?

O grande diferencial dessas empresas, entre outros fatores, é a presença de uma liderança accountable.

Como Stephen Covey diz, nós não somos resultado das circunstâncias, mas sim resultado das nossas decisões. São em momentos de crise, como os que estamos vivendo, que conseguimos diferenciar com facilidade os gestores que são ou não accountable com base nas suas decisões e nas ações da sua equipe.

Accountability é uma virtude do ser humano, uma palavra que infelizmente não tem tradução direta para o português, significa pegar para si a responsabilidade e gerar respostas com resultados. Portando, um gestor accountable é aquele que em um momento de crise não deposita as responsabilidade pelos seus resultados nas condições externas (ou pior ainda, na sua equipe!), é aquele que decide inovar, fazer diferente, ousar e mesmo na crise alcançar e superar suas metas.

O gestor, para superar uma crise, independente do seu tamanho e impacto, precisa desenvolver a sua Accountability Pessoal e disseminar essa virtude entre os membros da sua equipe. Um gestor e uma equipe accountable são capazes de superar todos os tipos de crise, pois sua postura é sempre a de buscar caminhos para gerar resultados e não desculpas para se esquivar da responsabilidade.

Pode até parecer óbvio quando dito em um texto que devemos assumir a responsabilidade e buscar maneiras de gerar resultados, no lugar de apontar culpados e gerar desculpas, porém na prática isso não acontece, afinal o que mais ouvimos nos corredores das empresas são desculpas e pessoas transferindo a culpa  dos resultados ruins para o momento de crise.

O primeiro passo para virar o jogo e iniciar o processo de desenvolvimento de uma Cultura de Accountability é eliminar o hábito de dar e aceitar desculpas. Os gestores precisam ser exemplo de conduta, não dar e não aceitar desculpas da sua equipe.

Eliminar o hábito de dar desculpas não é uma missão simples ou fácil, porém é necessária. Imagine sua equipe investindo a mesma energia que gasta para desenvolver desculpas ou para buscar culpados para gerar soluções.

Frases como: “Eu  não sabia”, “Não é a minha função”, “Já estava assim quando cheguei” não devem ser toleradas e sim substituídas por análises como: “O que eu poderia fazer?”, “Como posso mudar ou melhorar isso?”, “Como posso ajudar?”, entre outras.

A transformação deve começar pelo gestor e ser disseminada para sua equipe, estamos em um momento mais do que oportuno para rever a nossa postura frente a crise e buscar na adversidade maneiras de nos superarmos e atingirmos resultados excepcionais.

E você de qual lado está: dos que culpam da crise ou dos que buscam alternativas para conquistar resultados?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s